A primeira Páscoa pode ser linda, doce e sem chocolate!

A páscoa é sinônimo de chocolates, não nem sempre, e não para todo mundo.

Cuidar da alimentação dos nossos pequenos nem sempre é simples. A sociedade de pediatria recomendam que chocolates sejam oferecidos após os 2 anos, e condenam a ingesta da iguaria antes do primeiro aninho de vida.

A necessidade de comer doce, é nossa não dos bebês. Quando começamos a introdução alimentar, por volta de 6 meses é hora de provar de tudo, e é importante que eles conheçam o sabor original dos alimentos, sem precisar ser adoçado artificialmente. O bebê já é apresentado ao sabor levemente adocicado durante a amamentação, a lactose já faz esse trabalho, mesmo que seja de maneira discreta ele já conhece. Então é a hora de apresentarmos a eles o salgado, azedo, amargo, acido e etc.

Não se preocupe com o doce, essa é uma certeza eles irão gostar hahahahah

Na Páscoa do ano passado o Luca estava com 10 meses, e eu fiz para ele uma cestinha com ovinhos de plástico recheados com morangos e blueberry que eram as frutas favoritas dele na época, ele adorou encontrá-las dentro dos ovinhos e nos rendeu belas fotos.

 

Meu filho ainda não completou 2 anos (1 ano e 10 meses), e ele já experimentou chocolate e eu não me sinto uma mãe ruim por isso, ele tem uma alimentação bem balanceada e saudável, e nessa pascoa eu pretendo oferecer a ele um chocolate.

Minha intenção não é comprar a ele um ovo de chocolate e deixá-lo se jogar dentro dele, mas não vejo nenhum problema em ele comer um pedaço ou um bombom.

Vejo algumas mães que quando o filho coloca um doce na boca elas saem correndo para lavar a boca da criança como se tivesse ingerido veneno, não acho que esse seja o caminho. Quando a gente cria toda essa proibição em cima de algo aquilo torna-se muito desejado pela criança. Uma outra coisa que eu não pretendo usar aqui em casa é fazer o chocolate ou doce no geral como moeda de troca para que o Luca coma tudo o que estiver no prato. Quando a gente transforma o doce em um prêmio a gente estimula o mal hábito alimentar. Eu acredito que o ideal é que eles aprendam desde cedo a comer de tudo um pouco, inclusive doces e chocolates. Moderação é a palavra, sempre!