O “paizão” das redes sociais.

São poucos pais que eu conheço que realmente assumem a paternidade de fato, sendo bem sincera no meu cotidiano eu acredito que o número que eu conheço não seriam o suficiente para encher uma mão.  A grande maioria deles ainda se prendem aos modelos de outrora, onde o pais eram responsáveis por trazerem o sustento da família, e dar aquela boa surra que só os pais eram capazes, digo isso nos melhores casos, pois também existiam, como ainda existem os que simplesmente desaparecem. Segura que essa “pica”é sua, e simplesmente somem.

Na mesma linha do pai que ajuda temos um outro tipo de pai surgindo, o paizão das redes sociais, é aquele cara que não direciona sua energia a criação e educação do filho, o seu foco não é a construção e crescimento enquanto família, ele tá muito mais preocupado com a própria atuação perante a sua platéia. É aquele pai que troca uma fralda aqui outra ali, é o pai que da mamadeira, é o pai que leva na pracinha. Ele faz tudo isso fazendo pose para o click,  sorri lindamente com a leveza de quem pode chegar em casa depois de um dia de trabalho e pode ter o luxo de escolher se vai interagir com o filho ou não, dependendo de como foi o seu dia no trabalho, da programação da TV, ou da  sua disposição e paciência. Mas quando tem visita em casa ele até se senta no chão para brincar, mesmo se estiver passando o jogo do time dele na TV ele se desdobra para ver o jogo e brincar com o filho, mas ele não perde a oportunidade de mostrar que ele é sim, um paizão, dessa maneira quando ele postar alguma coisa nas redes sociais o like, um comentário foto e de repente até um share daquela pessoa que vê essa cena ele já garantiu.

E quer saber o pior? a platéia vai a loucura. A grande maioria mulheres que pensam, “ah, que exemplo de pai” . E é dessa maneira que se perpetua a ideia do paizão das redes sociais, a mulherada aplaudindo em pé e os homens achando que se trocar uma fralda vez ou outra já esta de bom tamanho.

Sim, nos dias hoje existem pais que fazem um grande esforço para se encontrarem enquanto pais,  criando e educando de uma maneira diferente daquela que tiveram enquanto filhos, pais que não aceitam mais o papel que disciplina de modo violento sem respeito para com as crianças. E, nesse difícil caminho, assim como nós mães eles também erram, também se sentem inseguros, e também estão dispostos a fazer melhor, dia após dia. Mas esses pais que realmente assumem a paternidade na maioria costumam ser mais discretos, são homens que entenderam aquilo que nós mães sentimos logo que carregamos a nossa cria nos braços pela primeira vez, a maior responsabilidade que já nos foi dada, onde cada decisão diária torna-se uma reflexão. E ai realmente sobra bem pouco tempo tempo para exibicionismos.

Se você ai é um paizão das redes sociais, só queria te dar um toque que é  meio ridículo ficar se vangloriando por fazer o mínimo necessário por um filho. Se toca!

E você, quando for aplaudir lembre-se, que na maioria dos casos para que a estrela desse “paizão”, “Super pai” brilhar, tem á sombra uma mãe sobrecarregada, sem nenhuma ajuda e sem reconhecimento.