Amigos de perto, amigos de longe, amigos de sempre….

Ai de repente um dia você acorda e pronto, já se passaram um, dois, três anos. E a sua ficha cai, que o que era provisório está se tornando cada dia mais permanente.

Mas e as suas coisas, aquelas que você deixou em um lugar seguro. São, objetos, cacarecos, trecos, fotos, coisas… É, o seu tempo de vida fora te ensinou que são superficiais, e você vê que se desprendeu totalmente, hoje já não te faz falta.

Mas e as pessoas, os amigos, os familiares. Esses você tras consigo, e sempre trará.

Mas você começa a ver que a vida de pessoas tão queridas acontece, e que você não esta lá. Vocês se falam, trocam mensagens, e é sempre uma alegria. Mas elas estão ali, no dia a dia delas, o qual você não faz mais parte. E você começa a ter a sua rotina, onde essas pessoas também nao estão mais incluidas. Abraços que você não deu, lágrimas que você deixou de enxugar, festas que você não esteve presente, nascimentos que você não celebrou, casamentos que você não foi… E isso chega pra você quase como uma ofensa, incomoda essa lembrança daquilo que você não vai viver.

Quando penso no tantão de gente legal que deixei quando sai do Brasil, me da um aperto no coração, ainda não aprendi a lidar com a falta que sinto das pessoas, talvez nunca aprenda.

Também sei que independente de morar fora ou não, para todo mundo a vida toma o seu rumo, com filho, trabalho, estudo e todo o corre corre do dia a dia, mesmo se morassemos no mesmo bairro não teriamos a convivência que tivemos em outras épocas. A verdade é que quando mudamos de país as amizades não acabam ali, não necessariamente, mas você sai da vida dos seus amigos, assim como os tira da sua.

Quando você decide que quer morar fora, você precisa aceitar que o perder faz parte da sua escolha. Perdemos o futuro que teriamos se tivessemos no nosso país, perdemos o caminho que teríamos percorrido, perdemos onde teríamos chegado, perdemos o que teríamos ganho se tivessemos ficado. E no meio dessas perdas nos encontramos com aquele que é muito presente na vida de um expatriado, que é  o “e se “.

Você enxerga que pessoas, lugares, oportunidades não ficam ali esperando você voltar, pra contar se a grama do vizinho é realmente mais verde.

O mais importante é que perto ou longe distancia nenhuma afasta os verdadeiros afetos. Ao longo da vida conhecemos muita gente, mas os que se tornaram os verdadeiros sentimentos de amizade, nunca separam. As vezes, quando paramos e reparamos, vemos que a vida de alguns parou, não realizaram, nem fizeram nada de útil. Enquanto já outros fizeram tanta coisa inimaginável!! E é isso aí, assim é a vida!

Ninguém se encontra por acaso, existe uma razão superior para tudo!

 

 

 

 

 

 

 

 

2 Replies to “Amigos de perto, amigos de longe, amigos de sempre….”

  1. Que lindo! Eh bem assim mesmo. Beijos

    1. Agora ta faltando um post sobre os novos amigos, que são tão especiais o quanto! 🙂

Comentários fechados.